Arquivo do autor:administrador

Edital Proac Nº 01/2015 – Produção de Espetáculo Inédito e Temporada de Teatro

ESTREIA-TEATRO-CIA-SUNO-15-ANOS-ESPETACULO-ENSAIO-SOB-A-CHUVA-NA-FOTO-_

A SECRETARIA DA CULTURA torna público o CONCURSO para a seleção de projetos de PRODUÇÃO DE ESPETÁCULO INÉDITO E TEMPORADA DE TEATRO para apoio cultural, com observância na Lei Federal nº 8.666 de 21 de junho de 1993, Lei Federal nº 9.610, de  19  de fevereiro de 1998 (Lei de Direitos Autorais), no que couber, na Lei Estadual nº 6.544, de 22 de novembro de 1989, e alterações posteriores, Lei Estadual nº 12.268, de 20 de fevereiro de 2006, bem como toda a legislação complementar relacionada ao ProAC, e em conformidade com as condições e exigências estabelecidas neste Edital e seus anexos.

    • Data Inicial: 13/05/2015
    • Data Final: 26/06/2015n
  • Número do Processo:

Arquivos

EDITAL PROAC Nº 01/2015 -
EDITAL PROAC Nº 01/2015 – Retificação -

 

Fonte: Governo do Estado de São Paulo – Secretária da Cultura

 

Edital Proac Nº 04/2015 – Produção de Espetáculo Inédito e Temporada de Dança

alfa

A SECRETARIA DA CULTURA torna público o CONCURSO para a seleção de projetos de PRODUÇÃO DE ESPETÁCULO INÉDITO E TEMPORADA DE DANÇA para apoio cultural, com observância na Lei Federal nº 8.666 de 21 de junho de 1993, Lei Federal nº 9.610, de  19  de fevereiro de 1998 (Lei de Direitos Autorais), no que couber, na Lei Estadual nº 6.544, de 22 de novembro de 1989, e alterações posteriores, Lei Estadual nº 12.268, de 20 de fevereiro de 2006, bem como toda a legislação complementar relacionada ao ProAC, e em conformidade com as condições e exigências estabelecidas neste Edital e seus anexos.

    • Data Inicial: 15/05/2015
    • Data Final: 29/06/2015
  • Número do Processo:

Arquivos

EDITAL PROAC Nº 04/2015 -
EDITAL PROAC Nº 04/2015 – Retificação -

 

Fonte: Governo do Estado de São Paulo – Secretária da Cultura

Edital Bolsa Funarte para Formação em Artes do Circo – 2015

Ciao_foto_ensaio_Andre_Mardock

O Edital Bolsa Funarte para Formação em Artes do Circo – 2015, lançado pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), no dia 20 de maio, vai disponibilizar 60 vagas para candidatos ao curso técnico da Escola Nacional de Circo. Primeiro do país, no gênero, a ser reconhecido pelo Ministério da Educação, o Curso Técnico em Arte Circense terá duração de dois anos e vai oferecer bolsas no valor de R$ 55 mil aos estudantes selecionados para o período de agosto de 2015 a junho de 2017. As inscrições estarão abertas até o dia 6 de julho de 2015.

 

Serão destinados para esta ação R$ 3.300.000,00 milhões. Poderão participar do concurso, brasileiros natos ou naturalizados e estrangeiros que tiverem concluído o ensino médio. O Curso Técnico em Arte Circense será realizado em turno integral, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, sendo obrigatória, durante todo o período do curso, a participação dos alunos em eventos e/ou apresentações da Escola Nacional de Circo. Com carga horária de 2.798 horas, a iniciativa vai capacitar o aluno para atuar nos diversos setores e segmentos culturais que envolvem as artes circenses, tais como circos, espetáculos performáticos, festivais e eventos em geral. Durante o curso, cada estudante receberá uma bolsa mensal de R$ 2.500,00.

 

Para a inscrição, o candidato deverá enviar pelo correio (Sedex) um projeto, conforme orientações do item 6.4 do Edital. Os candidatos inscritos serão avaliados em quatro etapas: Habilitação; Avaliação preliminar; Avaliação presencial; e Análise da documentação complementar.

Acesse abaixo, em arquivos relacionados, o edital, a ficha de inscrição e anexos

Edital da Bolsa Funarte para Formação em Artes do Circo 2015

 

Fonte: Portal das Artes da Funarte

 

Desafio Smart Living Challenge estimula estudantes a desenvolverem ações de mobilidade

13659

A Embaixada da Suécia, o Swedish Institute e o Munktell Science Park e o Fundo Verde, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), buscam brasileiros inovadores e com sugestões sobre lidar com a mobilidade urbana. O Smart Living Challenge, desafio mundial organizado pelo Swedish Institute e seus parceiros, chega ao Brasil com o intuito de desenvolver um projeto que será aplicado na Cidade Universitária da UFRJ, visando a sustentabilidade das cidades. As inscrições vão até 31 de maio.

 

O Smart Living Challenge foi criado com o objetivo de incentivar discussões e desenvolvimento de projetos sob três grandes temas: transporte (Move), alimentação (Eat) e moradia (Live). Em 2015, três países participam desse desafio: o Brasil focará no tema transporte; a Sérvia desenvolverá o de moradia; e a Zâmbia o de alimentação.

 

A Cidade Universitária da UFRJ, no Rio de Janeiro, é a cidade escolhida para o projeto-piloto ligado ao tema ‘Move’. Com o mote From ideas to making it happen (De ideias para a realidade, em tradução livre) o desafio, se bem-sucedido em sua aplicação, pode vir a ser ampliado para o Rio de Janeiro ou para qualquer outro lugar do mundo. Além disso, o projeto será exibido durante a COP21, a ser realizada em Paris, França, no final do ano.

 

O intuito é reunir estudantes de graduação, professores do ensino superior e jovens profissionais das mais diversas áreas do conhecimento, que tenham espírito inovador e ideias criativas, para trabalharem a questão da mobilidade sustentável dentro da UFRJ. Alunos provenientes de outras universidades, bem como jovens profissionais.

 

O candidato precisa ter disponibilidade para realizar encontros semanais presenciais no Rio de Janeiro durante o período do projeto, de três meses. Também é importante a fluência na língua inglesa.

 

Um júri composto por profissionais como arquitetos, empreendedores, professores e membros da Embaixada da Suécia e do Fundo Verde da UFRJ julgarão as melhores ideias e perfis de aplicantes. Serão seis os escolhidos que, durante três meses, irão desenvolver um projeto em conjunto, sob a tutoria de facilitadores da Hyper Island.

 

O evento de anúncio dos seis escolhidos para realização do projeto ocorrerá em 09 de junho, às 10 horas, no Auditório Parque Tecnológico da UFRJ, e será aberta ao público. A cerimônia trará os vencedores do Smart Living Challente 2014, projeto Bicicletaria Cultural, e a ONG Transporte Ativo, que promoverão uma discussão sobre mobilidade inteligente e sustentável e seus desafios.

 

Durante 11 semanas serão realizados dois workshops presenciais e conferências semanais por Skype com a Hyper Island, com a Cykelfrämjandet (The Swedish Cycle Advocacy Association), participantes do documentário ‘Bikes vs. Cars’, empreendedores e especialistas ligados à área de mobilidade, a fim de auxiliar o Smart Living Challenge Team a desenvolverem esse trabalho.

 

Na primeira semana de setembro acontecerá a cerimônia de encerramento do desafio com premiações, e o projeto será apresentado para a comissão organizadora no Brasil (Embaixada da Suécia e Fundo Verde-UFRJ) e enviado para a o Swedish Institute (S.i.), na Suécia, para ser preparado para exposição na COP21, em Paris, dezembro 2015.

 

Fonte: Setor3

 

Festival Entretodos recebe inscrições curtas sobre direitos humanos

13611

Curtas-metragens com temáticas relacionadas aos direitos humanos podem se inscrever na oitava edição do Festival Entretodos. O tema deste ano é Cidade Educadora. As inscrições podem ser feitas até o dia 8 de junho no site da iniciativa.

 

Para se inscrever, é necessário enviar por via postal a ficha cadastral preenchida e o regulamento, ambos assinados. O filme pode ser enviado em DVD ou por meio de link protegido por senha.

 

Serão aceitas produções de até 25 minutos em qualquer formato, inclusive vídeos de celular. É recomendável que os filmes sejam legendados em português, tenham recurso de audiodescrição e, se possível, uso da linguagem de libras.

Serão eliminados da pré-seleção os curtas metragens que ultrapassarem o tempo estabelecido. Serão aceitos filmes nacionais e estrangeiros, desde que os filmes em língua estrangeira sejam legendados e/ou possuam transcrição de áudio com Time Code. O idioma da transcrição deverá ser em português. Os realizadores estrangeiros devem ter representante residente no Brasil.

 

O material de divulgação, a ficha de inscrição e o regulamento impressos e assinados deverão ser encaminhados ao endereço da curadoria do Festival em data que será definida no site do evento.

O melhor curta nacional e melhor curta estrangeiro, receberão R$ 7 mil cada; melhor direção, receberá R$ 5 mil; melhor filme Cidade Educadora, com o prêmio de R$ 4 mil; e melhor filme de educação em direitos humanos, que receberá a quantia de R$ 3 mil.

 

Fonte: Setor3

Trabalhos acadêmicos podem ser enviados para rede Ideias na Mesa

13629

A proposta da rede Ideais na Mesa é reunir, em seu site, um grande acervo de trabalhos acadêmicos com temas relacionados a educação alimentar e nutricional.

 

A finalidade dessa ação é valorizar e fortalecer a área. Além de fazer parte da biblioteca do Ideias, os trabalhos enviados poderão ser divulgados no blog e em outras ferramentas da rede.

 

Para participar basta que o interessado preencha o formulário disponível no link http://goo.gl/UaoFxL, informando o título do trabalho, nome do autor e do orientador, o ano de conclusão e um resumo.

 

Poderão ser enviadas trabalhos de conclusão de curso, iniciação científica, dissertações, teses e artigos científicos que tenham como foco a educação alimentar e nutricional. Os trabalhos vão desde revisões de literatura, intervenções, avaliações de ações, criação e análise de materiais educativos, entre outros.

 

A finalidade da plataforma é dar visibilidade às experiências valorização da Educação Alimentar e Nutricional (EAN) no Brasil e para a consolidação de referenciais técnicos, conceituais e metodológicos por meio de uma rede virtual que propicie a rápida troca de informações, conhecimentos e práticas.

 

 

Serviço:Site da plataforma http://ideiasnamesa.unb.br/
Link do formulário para inscrever os trabalhos: http://goo.gl/UaoFxL

 

 

Fonte: Setor3

Combater a desigualdade é o maior desafio da cidade

rnsp1

“A principal questão na cidade é a desigualdade social, todos os demais problemas decorrem daí.” Essa é avaliação feita pelo coordenador geral da Rede Nossa São Paulo, Oded Grajew, no evento de lançamento da versão atualizada do Mapa da Desigualdade na capital paulista, ocorrido nessa terça-feira (19/5), no Sesc Consolação.

 

Para ele, os dados do Mapa da Desigualdade em São Paulo representam “uma vergonha para a cidade, uma mancha para todos os paulistanos”.

 

Os números que indignaram Grajew foram apresentados por Maurício Broinizi, coordenador executivo da Rede Nossa São Paulo, que fez uma breve explanação sobre os indicadores levantados pelo estudo.

 

De acordo com o Mapa da Desigualdade, o índice de centros culturais, casas e espaços de cultura, por grupo de 10 mil habitantes, é de 3,62 no distrito da Sé (o melhor indicador da cidade). No Sacomã é de apenas 0,040 e, para piorar, em São Mateus e outros 59 distritos o índice é zero.

 

Outro exemplo do abismo social entre as diversas regiões da cidade apontado pelo estudo é o índice de gravidez na adolescência – porcentagem de nascidos vivos cujas mães tinham 19 anos ou menos, sobre o total de nascidos vivos de mães residentes. No distrito de Marsilac, extremo sul da capital paulista, esse indicador é de 26,21. Já em Moema, região nobre da cidade, o índice é de apenas 0,585, ou seja, 45,45 vezes menor.

 

Em relação ao meio ambiente, os dados revelam que o total de área verde por habitante é 441,85 vezes maior em Parelheiros (o melhor índice) do que na Cidade Ademar (o pior).

 

Maurício Broinizi apresentou também um quadro com o número de distritos com indicador zero em diversos itens analisados, como leitos hospitalares, teatros e acervos de livros para adultos e infanto-juvenis.

 

O coordenador executivo da Rede Nossa São Paulo chamou a atenção para o percentual de crianças que em 2014 não conseguiram vagas em creche (45%). “Temos aqui um enorme déficit e um desafio que a cidade precisa enfrentar de forma urgente, que é colocar nossas crianças na educação infantil”, defendeu.

 

Antes de passar à palavra ao secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Eduardo Suplicy, o coordenador geral da Rede Nossa São Paulo, Oded Grajew, solicitou ao representante da prefeitura que falasse com os demais secretários que é preciso tirar os zeros da cidade, apontados pelo estudo apresentado. “Não tem coisa mais importante do que reduzir as desigualdades em São Paulo”, reinterou Grajew.

 

 

*Confira o texto na íntegra aqui no site da Rede Nossa São Paulo.

 

Fonte: Setor3

Gestores escolares podem se inscrever gratuitamente no curso gestão de aprendizagem

fit

A Fundação Lemann abriu o primeiro módulo do curso on-line de gestão de aprendizagem gratuitamente. Quem se interessar poderá se inscrever pelo site https://goo.gl/d0BfNy



A proposta é formar gestores e coordenadores escolares que buscam a melhoria dos processos de aprendizagem em suas escolas, demonstram dedicação e vontade de aprender e qualificar suas práticas.

 

Disponível em língua portuguesa, as aulas abordarão uma nova concepção de gestão escolar focada na aprendizagem dos alunos e nas dimensões de trabalho do gestor visando o sucesso escolar.

 

O curso vai apresentar os seguintes conceitos: introdução à gestão, planejamento estratégico, gestão estratégica, cenário da escola, plano de ação e uma bibliografia completa sobre o tema.

 

O usuário poderá fazer o cadastro no site por meio do Facebook, ou do e-mail. Ao todo, o módulo tem duração de seis semanas, com cerca de cinco horas semanais, além do certificado de conclusão.

 

Serviço:Para conhecer o curso e fazer inscrições acesse: https://goo.gl/d0BfNy

 

 

Fonte: Setor3

O Crime e a Criança

crianca-medo-620

A proposta de redução da maioridade penal no Brasil recebe grande quantidade de apoiadores no Congresso Nacional. Observamos o crescente número de menores de 18 anos executando crimes. Respeito a dor de familiares de vítimas fatais, de onde partem legítimas comoções sociais, mas defendo o uso da razão para o enfrentamento deste problema e também as regras constitucionais vigentes.

 

Parlamentares defensores da proposta de redução, extremamente pessimistas em relação ao futuro, fazem do pessimismo uma ferramenta de opressão e ódio. Vestem-se de justiceiros, mas são carcereiros da esperança e não aprendem que a cólera ofusca o entendimento e cega a razão. Legisladores republicanos que são, agem como senhores do feudo da verdade, com falsas soluções que escondem uma das facetas mais desumanas do capitalismo. Isentam de responsabilidade o poder público, a família e a sociedade, tripé fundamental que deveria garantir os direitos e os deveres da criança e do adolescente.

 

A redução da maioridade penal não resultará na diminuição da violência, e sim no seu aumento e na mudança do modus operandi do criminoso, que agirá usando parceiros com 14 anos de idade. Façamos como na África do Sul, onde as crianças de 12 anos já podem ser penalizadas, ou como na Índia onde a idade é de sete anos? Assim, os criminosos se especializarão em crianças de seis anos.

 

Falsos argumentos alimentam páginas de jornal e relatórios oficiais defendendo a redução proposta. Dizem que nações mais desenvolvidas possuem maioridade inferior à brasileira. A Espanha, a França e a Alemanha possuem em seus ordenamentos jurídicos as responsabilidades penais de 12, 13 e 14 anos, respectivamente. No Brasil, a mesma responsabilidade dá-se a partir dos 12 anos de idade, e difere desses países apenas na nomenclatura legal, ou seja, por não usar a palavra penal. Em nosso país, as medidas socioeducativas aplicadas aos menores já são verdadeiras penas. Deveriam ser medidas para recuperar e reintegrar o jovem à sociedade, mas como penas estão somente reproduzindo o nosso falido sistema penal, que hoje é uma superlotada universidade para o crime.

 

Além do mais, é importante destacar que as diversas Propostas de Emendas Constitucionais que tramitam atualmente, todas propondo alguma forma de redução da maioridade, são matérias inconstitucionais, uma vez que versam sobre cláusula pétrea (art. 228 da CRFB/88), pois trata-se aqui do princípio da dignidade da pessoa humana, e de um direito fundamental advindo da convenção das Nações Unidas de Direito da Criança.

 

Já reduzimos a maioridade penal. Temos agora que discutir a execução das medidas aplicadas aos menores, de forma a colocá-las realmente na categoria socioeducativa. A lógica cega que defende a redução da maioridade penal, levada ao seu extremo absurdo e possível, terminará na sala de parto selecionando os bons e os maus homens do futuro. Critérios sociais e raciais estarão entre as balizas de alguns justiceiros, como hoje camuflados em discursos e gestos.

 

Murilo Silva, professor de filosofia, graduando em direito pela Unisul (SC) e pós-graduado em Administração e Planejamento de Projetos  Sociais (Instituto Aleixo/UGF-RJ). O artigo foi publicado originalmente em seu blog: http://goo.gl/fgtQmG

 

 

Fonte: Setor3

Banco de Práticas

SUSTENTABILIDADE-ADEMI-2013-620x350

Banco de Práticas

Conheça o Programa de Valorização da Biodiversidade, da Beraca Sabará Químicos e Ingredientes, e acesse outras práticas sustentáveis nesta página.      É crescente a quantidade de empresas que passaram a informar a adoção de práticas socialmente responsáveis

 

Conheça o Programa de Valorização da Biodiversidade, da Beraca Sabará Químicos e Ingredientes, e acesse outras práticas sustentáveis nesta página.     

 

É crescente a quantidade de empresas que passaram a informar a adoção de práticas socialmente responsáveis para atender aos interesses e expectativas dos seus diversos públicos.  Isso se deve tanto à conscientização das empresas dessa necessidade quanto à demanda da sociedade por mudanças na forma de fazer negócios.

 

Buscando disseminar entre as empresas ferramentas de gestão e práticas responsáveis e apoiá-las em sua implementação, divulgamos neste espaço as experiências bem-sucedidas de empresas associadas ao Instituto Ethos no que se refere à responsabilidade social e à sustentabilidade, de modo a facilitar a pesquisa, ampliar o intercâmbio de informações entre as empresas e disseminar práticas de gestão socialmente responsável.

 

Esperamos que este espaço possa servir de referência e inspiração para a adoção de práticas de RSE em sua estratégia de negócio.

 

As práticas são organizadas de acordo com as dimensões dos Indicadores Ethos para Negócios Sustentáveis e Responsáveis. Clique em cada dimensão para conhecer as práticas.

 

            

 

 

 

Para mais informações, entre em contato com a área de Gestão Sustentável do Instituto Ethos, pelo e-mail gcampos@ethos.org.br ou pelo telefone 3897-2400.

 

Fonte; Instituto Ethos